Mulheres mulçumanas fazem orações durante o Ramadan. 

Foto de REUTERS/Sigit Pamungkas.

Jornalista fala ao telefone enquanto a fumaça consome o Taj Hotel em Mumbai após um ataque terrorista em 27 de novembro de 2008.

Foto de REUTERS/Arko Datta.

Identidade de Cláudia Silva Ferreira, de 38 anos, morta na comunidade de Congonha, em Madureira, na Zona Norte o Rio, durante operação policial na manhã de domingo.
A filha de Cláudia, Thaís Silva, de 18 anos, estava em casa e escutou a ação:
- Quando sai, minha mãe já estava jogada no chão, ensanguentada. Perguntei para os policiais o porque de eles terem atirado na minha mãe. Eles não falaram nada.
De acordo com moradores, Cláudia, que era auxiliar de limpeza, saiu para comprar pão quando foi atingida. Ela foi levada ao Hospital Carlos Chagas, mas não resistiu.
Revoltados com a morte, moradores da comunidade fizeram protesto e fecharam a Avenida Edgar Romero.
Foto de Luiz Ackermann/Extra. Link original.

Identidade de Cláudia Silva Ferreira, de 38 anos, morta na comunidade de Congonha, em Madureira, na Zona Norte o Rio, durante operação policial na manhã de domingo.

A filha de Cláudia, Thaís Silva, de 18 anos, estava em casa e escutou a ação:

- Quando sai, minha mãe já estava jogada no chão, ensanguentada. Perguntei para os policiais o porque de eles terem atirado na minha mãe. Eles não falaram nada.

De acordo com moradores, Cláudia, que era auxiliar de limpeza, saiu para comprar pão quando foi atingida. Ela foi levada ao Hospital Carlos Chagas, mas não resistiu.

Revoltados com a morte, moradores da comunidade fizeram protesto e fecharam a Avenida Edgar Romero.

Foto de Luiz Ackermann/Extra. Link original.

Matéria do Jornal A Nova Democracia sobre o caso de Claudia Silva Ferreira, baleada numa ação da polícia militar no Morro da Congonha no Rio de Janeiro e que teve o corpo arrastado por uma viatura enquanto era “socorrida”.

No dia 17 de março, moradores do Morro da Congonha, zona norte do Rio, voltaram a protestar em repúdio ao assassinato da auxiliar de serviços gerais Claudia Silva Ferreira, de 38 anos. A trabalhadora foi morta por policiais militares que faziam uma operação na favela na manhã do último domingo. Cláudia foi colocada com vida em um camburão que foi flagrado momentos depois, com o porta-malas aberto e a trabalhadora sendo arrastada por ao menos 250 metros.

A equipe de AND foi à casa de Cláudia conversar com o seu marido, o operário Alexandre Fernandes da Silva. Ele contou como percebeu, antes da divulgação das imagens pelo jornal Extra, que sua esposa havia sido arrastada por policiais.

(Fonte: youtube.com)

Mulheres turcas entram em confronto com a polícia em manifestação no Dia da Mulher, 8 de março.

Foto de Ozan Kose/AFP. Link original.

Mulheres turcas entram em confronto com a polícia em manifestação do Dia da Mulher, 8 de Março.

Foto de Ozan Koze/AFP. Link original.

Vídeo feito a partir do 9º Encontro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres, que aconteceu em agosto de 2013, em São Paulo. O vídeo foi produzido pela SOF - Sempreviva Organização Feminista, em conjunto com integrantes do Coletivo de Comunicadoras da MMM, que foi criado durante a cobertura do Encontro.

(Fonte: youtube.com)